Home > Veiculos Eletricos

5 razões para considerar a adoção de veículos elétricos

5 razões para considerar a adoção de veículos elétricos

quarta-feira, 25 Março, 2020

Se você ainda acha cedo pensar nos veículos elétricos como principal meio de transporte, te proponho um desafio: passar por esses cinco tópicos sem refletir melhor sobre essa opinião. 

Antes de entrarmos de vez no assunto, é bom que fique claro: a ideia aqui é trazer insumos para que você tome uma decisão consciente.  

Caso sinta que os carros a combustão ainda atendem sua necessidade, e que a perspectiva de isso mudar ainda é distante, fique tranquilo.  

O importante é ter ciência das alternativas e ter informações o suficiente para aproveitar oportunidades e garantir um caminho seguro ao seu negócio. 

Quanto custa o tempo do carro parado na sua operação? 

Quando o assunto é carro elétrico, preço é um dos principais motivos que desencorajam a aposta nessa modalidade. 

Contudo, já parou para pensar no retorno desse investimento? Quando invertemos essa lógica, chama a atenção a economia que provém do cronograma habitual de manutenção desses automóveis. 

A razão está na engenharia: com menos peças avulsas e isento das trocas de óleo e filtro do motor, a tendência é que esses carros rodem bem mais tempo do que sua contraparte a combustão antes de parar numa oficina. 

E a gente sabe que o custo disso vai além do que fica nas mãos do mecânico, certo? Em grande parte dos modelos de negócio no qual a frota de veículos é fundamental no fluxo de serviços e geração de vendas, uma única unidade fora das ruas pode causar um impacto significativo no faturamento. 

Mais liberdade e controle no abastecimento! 

Apostar em carros elétricos no Brasil, onde o preço dos combustíveis fósseis sobe sem aviso e sofre influência de uma alta gama de fatores externos, é um excelente remédio para a dor de cabeça do responsável pela gestão de frota nas empresas. 

Para você ter uma ideia, leia o depoimento de Luciano Ricardo Correa, especialista do SiDi e responsável por um estudo empírico sobre o uso de carros elétricos no Brasil: 

“Nos últimos dois meses, rodamos uma média de seis mil quilômetros num perfil de uso urbano (em Campinas, no interior paulista) e rodoviário (normalmente entre Campinas e São Paulo). 

Considerando um bom desempenho de carros a combustão neste mesmo cenário, que seria algo em torno de 14 quilômetros por litro, é possível afirmar que economizamos em torno de R$2 mil só com combustível.” 

Além disso, o veículo elétrico garante mais controle sobre a matriz energética e a rotina de abastecimento de sua operação, visto que é possível alimentar a bateria a partir até de tomadas domésticas. 

Assim, é possível conciliar os períodos de inatividade com o de abastecimento. 

A natureza agradece! 

Os carros elétricos são reconhecidos pelo funcionamento sem a emissão de monóxido de carbono. Isso os torna a solução perfeita para a poluição do ar nas grandes cidades. 

“Ah, mas e a fumaça gerada na produção da eletricidade que alimenta o veículo?” 

Segundo o biólogo Átila Iamatino, em países como o Brasil, em que a maioria da energia é produzida por hidrelétricas, a redução do gás poluente é bem menor e a troca pode ser considerada muito vantajosa ao meio ambiente. 

Aliás, mesmo em locais em que as usinas a carvão são predominantes, e a demanda dos carros elétricos pode gerar mais monóxido de carbono do que os escapamentos, a possibilidade de redirecionar toda essa poluição para fora dos centros urbanos torna válida pelo menos uma discussão mais aprofundada sobre o assunto. 

Desempenho superior 

A disposição instantânea de todo torque do motor condicionada a uma pisada no pedal garante 100% de controle sobre a velocidade do veículo. 

Isso torna os carros elétricos mais seguros para ultrapassagens e refletem num alto potencial de aceleração: boa parte dos modelos vão de zero a 100 km/h no mesmo tempo que alguns carros esportivos de ponta. 

A frenagem também se destaca frente a dos modelos tradicionais, já que em boa parte das situações está condicionada ao motor – diferente dos modelos a combustão, em que o freio a disco é mais acionado durante o período de locomoção. 

Na prática, isso significa menor tempo de resposta e mais tempo de vida para os discos de freio. 

Uma poderosa ferramenta de venda! 

Além da relação do carro elétrico com questões relacionadas a sustentabilidade, que ganha cada vez mais relevância nos processos de decisão de compra, garantir a vanguarda na adoção dessa tecnologia é um argumento de venda eficaz. 

Isso porque o cuidado em garantir ferramentas de ponta na operação gera a percepção de cuidado extra com a qualidade de entrega dos produtos e serviços.  

Fora a oportunidade de chamar a atenção de futuros e atuais clientes para uma experiência diferenciada. Afinal, se um vendedor bate na sua porta com uma máquina dessas, dificilmente alguém recusaria a chance de dar uma volta. Certo? 

Agora é com você! 

Espero que esses argumentos te ajudem a entender melhor a necessidade de considerar os carros elétricos como veículos de frota.  

Caso queira saber mais, ou busque uma alternativa para diminuir o investimento inicial nessa tecnologia, entre em contato com nossos consultores