Início > Arval Blog > Mulher No Volante Nenhum Perigo

Mulher no volante? Nenhum perigo!

Mulher no volante? Nenhum perigo!

sexta-feira, 8 Março, 2019

No mês de março é comemorado o Dia Internacional da Mulher, e ouvir que mulher e direção não combinam é um comentário um pouco ultrapassado para 2019. De acordo com o Infosiga SP, que recebe e apura dados baseados nos boletins e registros da Polícia Civil (RDOs) e da Polícia Rodoviária Federal no estado de São Paulo, dos acidentes fatais que ocorrem em nossas ruas e estradas, 93,1% são provocados por homens, ao passo que apenas 6,4% tinham mulheres no volante.

Já foi confirmado que, em 94% dos acidentes fatais, a principal causa é a falha humana. Isso mostra que o comportamento do motorista no trânsito é fator crucial, seja homem ou mulher. Não há diferença biológica que torne os homens mais aptos a dirigir que as mulheres. Ainda de acordo com o Infosiga SP, as mulheres se envolvem menos em acidentes graves de trânsito.

Segundo a Doutora em Psicologia do Trânsito, Ingrid Neto, pelo histórico masculino, os homens geralmente são estimulados a serem mais competitivos, e no trânsito isso acaba sendo potencializado, o que pode ser de fato um perigo constante. Já as mulheres têm um senso mais empático e cuidadoso, e isso acaba refletindo no comportamento de ambos ao volante. Ou seja, o fator cultural da construção da masculinidade ligada ao envolvimento dos homens em acidentes mais graves.

“Os homens acabam usando o veículo como um objeto de dominação do ambiente e do espaço por meio do uso da velocidade, do torque e da força do motor”, afirma o psicólogo Renan da Cunha Soares Junior, representante do Conselho Federal de Psicologia na Câmara Temática de Saúde e Meio Ambiente no Departamento Nacional de Trânsito.

Sabe os comentários alegando que as mulheres atrapalham o trânsito por serem mais “lentas”? Talvez isso não seja verdade. Na verdade, elas têm mais cautela e respeito, tanto com as leis de trânsito quanto com outros motoristas, enquanto quem reclama quer andar acima da velocidade permitida.

Que tal ninguém mais ser um perigo constante no volante e sim promover a segurança no trânsito? Conduzir o veículo de maneira cuidadosa e responsável é um dever de todo cidadão.

 

Fonte: Revista AutoEsporte